(51) 3574.3032      (51) 3378.9955      (51) 99413.1087

Doenças Respiratórias

ASMA

Asma é uma doença inflamatória crônica que atinge os brônquios de pacientes portadores de alergia respiratória. Os principais sintomas são falta de ar, tosse e chiado no peito. O principal motivo dos sintomas é o fechamento parcial dos brônquios após exposição a fatores alergênicos, como poeira, mofo, pólens, mudanças climáticas, umidades ou infecções respiratórias.

O diagnóstico é feito através da avaliação clínica, principalmente pela ausculta do pulmão, e por testes funcionais bastante simples que medem a capacidade respiratória e a resposta ao broncodilatador. Estes testes, chamados espirometria, podem ser feitos inicialmente em consultórios em conjunto com a consulta médica. As radiografias servem para diagnosticar complicações da asma como pneumonias, sinusites e bronquites crônicas associadas. O exame de sangue auxilia na identificação da alergia e em alguns casos de qual substância o paciente deve se afastar.

O tratamento consiste na combinação entre medicamentos broncodilatadores e antiinflamatórios. Atualmente, existem preferência pela via inalatória pela maior rapidês, segurança e eficácia. Também existem medicamentos por via oral e injetável para controle da asma. O cuidado com o ambiente doméstico e de trabalho também é muito importante para o controle de sintomas. Todo ano, novos medicamentos são pesquisados e colocados a disposição da classe médica.

PNEUMONIA

A pneumonia é um processo infeccioso que atinge os pulmões ocasionado principalmente por bactérias ou virus, determinando um redução da capacidade respiratória e uma série de sintomas (febre, tosse, catarro, dor torácica e falta de ar). As pneumonias bacterianas são as mais graves por apresentarem potencial evolutivo rápido inclusive com risco de vida, em especial em idosos e crianças.

Os sintomas de pneumonia podem ser confundidos com de uma gripe, sendo necessário uma avaliação precoce para evitar complicações em decorrência de seu diagnóstico tardio. Os principais germes causadores de pneumonias são o pneumococo, haemophius, mycoplasma, stafilococo, etc.

O diagnóstico é feito através do exame do paciente, principalmente da ausculta pulmonar, e através da radiografia de tórax. O exame de sangue e do catarro podem ser úteis na tentiva de determinar com precisão qual o germe causador da pneumonia.

O tratamento consiste fundamentalmente no uso de antibiótico adequado para cada tipo de pneumonia. Muitas vezes o uso de antibiótico incorreto pode levar a uma progressão grave da infecção ou favorecer o surgimento de germes resistentes aos antibióticos comuns. Existe apenas um tipo de vacina anti-pneumonia, contra o pneumococo, sendo esta indicada para idosos com outras comorbidades, devendo ser realizada a cada 5 anos.

CÂNCER DE PULMÃO

O Cancer de Pulmão consiste numa doença maligna que acomete os pulmões, podendo ter origem primaria nos pulmões ou secundária neste, como as metástases de outros tumores. O cancer pulmonar está muito ligado ao tabagismo.

Os principais sintomas são a tosse, dor torácica e escarro com sangue. Sintomas gerais como emagrecimento, falta de apetite, mal estar e dores nas pernas são comuns. Em casos iniciais, o cancer pulmonar é assintomático, podendo ser encontrado somente em exames de rotina.

O primeiro exame a ser realizado na detecção do cancer de pulmão é o RX de tórax. Em casos especiais somente a tomografia computadorizada de tórax poderá sugerir o diagnóstico. Após, a endoscopia respiratória e o exame de escarro são os exames mais indicados.

O tratamento depende do estágio em que o tumor foi diagnósticado. Em casos iniciais, com tumores pequenos, a cirurgia é o tratamento de escolha. Caso não seja possível este procedimento, está indicada a quimioterapia e/ou radioterapia.

ENFISEMA PULMONAR

O enfisema é definido por destruição do pulmão por fatores externos, principalmente o tabagismo e substâncias tóxicas, ou fatores internos como deficiência enzimática e predisposição genética. O pulmão enfisematosos normalmente apresenta bolhas difusas onde o funcionamento pulmonar é muito deficiente.

Os principais sintomas são a falta de ar, tosse, catarro e chiado no peito. As pessoas com enfisema apresentam dificuldade para exercer atividades físicas por redução na capacidade respiratória.

O diagnóstico é realizado através do exame físico e história pessoal. Os exames radiográficos (RX de tórax e tomografia computadorizada) são muito importantes, assim como as provas de capacidade respiratória como a espirometria.

O tratamento consiste no uso de broncodilatadores inalatórios ou orais e antiinflamatórios em casos selecionados. Pacientes em estágio avançado poderão necessitar de oxigênio e reabilitação pulmonar. Existem alguns pacientes que podem se beneficiar da cirurgica para o enfisema. Em casos graves, o tranplante pulmonar também é uma alternativa.

TUBERCULOSE PULMONAR

A tuberculose pulmonar é uma doença infecciosa que afeta os pulmões e é causada pelo bacilo de Koch. Sua transmissão é feita por gotículas com bacilos durante a tosse, facilitando o contágio entre familiares e colegas de trabalho. Pode afetar qualquer classe social, sendo mais grave em pessoas imunodeprimidas.

Os principais sintomas são febre, suores noturnos, emagrecimento, dor torácica e em casos avançados escarro com sangue. Os pacientes também emagrecem com o tempo.

O diagnóstico é feito pelo exame do escarro e RX de tórax. O teste cutâneo de mantoux pode ser útil em alguns casos.

A prevenção da doença é feita pela vacina BCG na infância. O tratamento é realizado por medicamentos padronizados durante no mínimo 6 meses. Em familiares de tuberculosos é fundamental a pesquisa de lesões compatíveis com tuberculose para o tratamento precoce da doença.

FIBROSE PULMONAR

A Fibrose Pulmonar é uma doença que acomete os pulmões bilateralmente, sendo a mais comum das doenças intersticiais pulmonares. Costuma acometer pessoas adultos entre 50 e 70 anos, sendo os sintomas mais freqüentes a falta de ar, tosse e fadiga. Não se sabe a causa desta doença, mas é mais freqüente em fumantes e pode acometer pessoas da mesma família.

A Fibrose Pulmonar progride na maioria dos casos para quadros mais severos, onde a falta de ar aumenta e muitas vezes impede a execução de atividades físicas usuais. O diagnóstico inicial é feito por um RX e uma tomografia computadorizada, sendo que quase sempre a biópsia de pulmão é necessária.

Existem diversos tratamentos indicados para esta doença, e o grau de resposta a estes tratamentos é bastante variável. Em alguns casos mais avançados, o oxigênio está indicado. Alguns pacientes com doença mais grave devem ser encaminhados para transplante de pulmão. Atualmente, pesquisas com novos tratamentos tem sido realizadas, inclusive no Brasil.

//